GRAMADO - RS

GRAMADO - RS

PARA REFLETIR

A vida só acontece através do tempo, mas toda a
vida é uma luta para impedir que o tempo passe...
(Rubem Alves)

PENSE NISSO!!

A vida na Terra é somente uma passagem, no entanto, algumas pessoas vivem como se fossem ficar aqui eternamente, e esquecem de ser feliz.

VIDA - UM PRESENTE DO UNIVERSO

O Universo é capaz de organizar todas as circunstâncias e eventos necessários no momento certo e perfeito, e o momento certo diz respeito a você se harmonizar com o seu eu superior. Não tente se apressar na direção da meta. Se você se mantiver vibratoriamente em harmonia com qualquer desejo, o Universo seguramente encontrará uma maneira de torná-lo realidade. (Gill Edwards)

segunda-feira, 17 de março de 2014

NÃO SEI QUANTAS ALMAS TENHO...

Não sei quantas almas tenho,
cada momento mudei,
continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei,
de tanto ser, só tenho alma
quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê
quem sente não é quem é.

Atento ao que sou e vejo
torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
é do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem,
assisto à minha passagem
diverso, móbil e só,
não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo
como páginas, meu ser.
O que segue não prevendo
o que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
o que julguei que senti.
Releio e digo: Fui eu?
Deus sabe, porque o escreveu.
(Fernando Pessoa)

5 comentários:

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Oi amiga Suzana,que poesia mais linda de Fernando Pessoa!
Os versos exalam a pureza d'alma.
bjs
Carmen Lúcia.

Kellen Bittencourt ( Trilhamarupiara) disse...

Olá querida amiga, bela poesia, Fernando Pessoa realmente tinha muitas almas, gosto muito! bjosss

Felisberto Junior disse...

Olá, Su
F.Pessoa,bela escolha!
...(Não sei quantas almas tenho,
cada momento mudei) uma reflexão que nos leva a verificar que não se reconhece, pois por ser múltiplo , o eu lírico não se reconhece, tendo em vista a exteriorização que torna o estranho á própria vida... multiplica se mas sente solitário e ausente de si mesmo...
Obrigado pelo carinho, bela noite,belo dia,beijos!

Dilmar Gomes disse...

Grande Fernando Pessoa, amiga Suzana. Dentre tantos poetas de que eu gosto, três assumem a dianteira da minha idolatria. Desses três eu gosto muito, os quais são: Fernando Pessoa, Mario Quintana e Jorge Luis Borges. Pessoa e Borges são monumentais e Quintana mesmo não estando à altura deles poeticamente falando, marcou-me muito pelo lado pessoal , afetivo, por tê-lo visto, tete-a-tete, muitas vezes, mas, enfim acabei fugindo um pouco do que queria dizer inicialmente, ou seja, que Pessoa é o grande POETA da língua portuguesa!
Um abraço. Tenhas uma boa noite.

Vera Lúcia disse...


Olá Suzana,

Gosto das poesias de Fernando Pessoa e essa é uma de suas grandes e belas criações poéticas.

O desdobramento do “eu” foi uma questão marcante em suas criações literárias.

Adorei sua escolha.

Beijo.